Paraty Eco Festival | 2013

2013

O Paraty Eco Fashion no ano de 2013 aconteceu nos dias  26 a 29 de setembro

Feira Criativa – (Praça da Matriz)

Exposição e venda de produtos artesanais
com foco na sustentabilidade do processo de produção

27 de setembro

OficinaDespertar Para a Moda, convidado Saint Clair
-  Oficina Biojóias, convidada Patrícia Moura
-  Desfile de Lena Santana com o Quilombo do Campinho da Independência
-  Apresentação: Grupo Haka Ara Henua Infantil daIlha de Pascoa (Chile)

28 de setembro

-  Desfile
-  Show Musical com Luís Perequê

EcoCine no Espaço Iphan

Parceria: São Sebastião Tem Alma e Cineclube Paraty
CriancEco com filmes e desenhos animados do projeto Bem-Te-Vi

26 de setembro

Sessão CriancEco, filme “A Ilha do Terrível Rapaterra”

27 de setembro

Sessão CriancEco
- Quilombos Vivos – 6 min
- Mostra BTV (festival de curtas) – 30 min
- Sustentabilidade: Compartilhe esta Ideia – 12 min

- Zuzu Angel – 100 min

28 de setembro

Sessão CriancEco
- Quilombos Vivos – 6 min
- Mostra BTV (festival de curtas) – 30 min
- Sustentabilidade: Compartilhe esta Ideia – 12 min

- Dona Dica, viver, navegar… resistir – 26 min
- A mulher e o mar – 13 min

 

Oficinas na Secretaria Municipal de Cultura

27 de setembro

- Transformar (conceito de UPcycling) com Gabriela Mazepa;
- Processos Criativos Sustentáveis em Moda com André Ribeiro de Barros (Tendere);

28 de setembro

- Moulage com Lena Santana;
- Criação e Desenvolvimento de Coleção em Moda Sustentável com Lilyan Berlim.

 

Exposições

Mostra de Moda e Desgin Sustentáveis
Nesta terceira edição do Paraty EcoFashion, a Mostra de Moda e Design Sustentáveis mantém a, feliz, parceria com o Instituto Rio Moda e chega à cidade com boas novas.
Sob a curadoria do Rio Moda, a mostra promete surpreender não só por ter alcançado um número significativo de inscrições de diversos estados, mas por chegar ampliada a 2013, não se restringindo somente a estudantes, mas também contando com profissionais de moda e design.
O projeto ficou ainda mais rico, com mais espaço à experimentação e ampliação do campo em que se distribuem as iniciativas que conciliam moda/design e sustentabilidade.

Mostra Cairuçu – Núcleo de Moda
O Núcleo de Moda Cairuçu, criado em março de 2012, inaugurou suas atividades com sucesso e ótima aceitação do público que rapidamente se moldou aos conceitos apresentados. Formado por pessoas de diversas comunidades de Paraty como Patrimônio, Novo Horizonte, Condado, Corisquinho, Trindade e Camburi, o grupo vem melhorando as técnicas de produção e em parceria com outros grupos de artesanato ampliam possibilidades de vendas e o ganho em geração de renda das artesãs participantes.
Todo o trabalho do Núcleo de Moda Cairuçu, através da Associação Cairuçu, pode ser visto durante o Paraty EcoFashion 2013.

“Eu sou a moda Brasileira”
Estampando o orgulho da cultura nacional Zuzu Angel colocou o Brasil no mapa da moda mundial.
Na exposição “Eu sou a Moda Brasileira” você conhecerá um pouco mais sobre como suas coleções reproduziram os tons vibrantes e cada vez mais vivos de um trabalho feito com dedicação e paixão pela “brasilidade”.

Raízes de Paraty
RAÍZES DE PARATY apresenta a arte e o artesanato da cidade em sua forma tradicional e também renovada por criações que ampliam possibilidades estéticas e sustentáveis. Estão aqui as máscaras e os bonecos de tantos carnavais e festas, os barquinhos que integram a paisagem da baía, técnicas artesanais das comunidades indígena e quilombola – e tudo recheado de surpresas.

Mestres

Mestres artesãos das máscaras, exposição Raízes de Paraty, 2013

Mestre Lucio Cruz

Há máscaras prontas e acabadas e também peças ainda em fase de finalização ao vivo, no espaço da exposição, pelas mãos de seus autores: os mestres artesãos e seus alunos. Outras, também produzidas pelos mestres, foram apropriadas pela técnica do bordado. Teares de prego viraram quadros-suporte para barquinhos
desenhados e tecidos à mão por crianças e adolescentes.

Mestre Natalino

Ampliando o panorama do artesanato local, a exposição traz artesãos do Quilombo do Campinho da independência com sua produção ao vivo: o trançado da palha de taboa para confecção de peixes decorativos, dividindo espaço com os fantásticos bichos de madeira esculpidos por Seu Valentim e Dona Madalena.
Vindos da aldeia de Paraty-Mirim, os índios guaranis também apresentam o trançado em taquara e a tradicional escultura de animais em madeira caxeta – aqui, em versões minúsculas compondo colares.

Mestre Biba

Manter tradições, se abrir à criação, celebrar a vida, a natureza, a arte e o artesanato fazem parte da identidade deste antigo porto encravado entre a serra e o mar, onde se preservam feições arquitetônicas, costumes locais e muitos dos mistérios que tanto encantam visitantes vindos de toda parte e moradores – sejam
eles nativos ou adotivos, aqueles que um dia chegaram e nunca mais quiseram partir de Paraty.

Mestre Jubileu

As tradicionais máscaras de Paraty e os bonecos gigantes têm destaque na exposição. As máscaras são produzidas com papel e cola, e montadas sobre moldes que podem ser de argila, barro, saco de areia ou até cimento. Seus criadores, artistas e artesãos que dominam a arte de fazer estas máscaras, são chamados, respeitosamente, de Mestres; generosos, ensinam a técnica a quem queira aprender. Os bonecos gigantes, com as cabeças moldadas por técnica similar, nasceram para animar o Carnaval paratiense e foram ganhando espaço em outros eventos e festejos – que não são pouco e jamais desanimados nesta cidade.

Mestre Márcio

Na mostra RAÍZES DE PARATY, seis mestres apresentam suas máscaras: Biba (José Luiz Alves), Geninho (José Eugênio Marques Figueira), Jubileu (com seus filhos João e David), Lúcio, Márcio Chaves (com José Chaves, seu pai) e Natalino. A exposição continua sendo preparada e montada diante de todos: os mestres e seus alunos (que participam com máscaras produzidas durante as aulas) pintam algumas das peças expostas ainda em cor branca, em pleno espaço expositivo.

Mestre Geninho

Os bonecos gigantes expostos são de autoria dos mestres Biba e Jubileu. Também estão expostas as máscaras feitas por alunos dos mestres Geninho e Lúcio Cruz especialmente para este evento. A oficina de Lúcio Cruz foi realizada na Escola Municipal Parque da Mangueira e atendeu 112 crianças de 8 a 10 anos. A oficina ministrada por Geninho acontece no Ponto de Cultura Arteatro e atende alunos dos 7 aos 70 anos.

Bordado

As máscaras foram apropriadas pelo bordado por meio do concurso Máscaras de Paraty, uma iniciativa do Instituo Colibri, em que cada concorrente bordou à mão uma máscara produzida por um dos mestres. Assim, estimulou-se a prática do bordado, técnica dominada por muitos moradores da cidade e também ensinada em oficinas organizadas pelo Instituto, agregando-lhe valor ao utilizar como tema um ícone da cultura de Paraty. Participação especial: bordadeiras de Paraty inscritas no concurso de máscaras.

Exposição na Casa de Cultura - 2013

Exposição na Casa de Cultura – 2013

Tecelagem

Integrados à paisagem de Paraty, os barquinhos foram tema de oficinas de tecelagem realizadas em duas escolas, nas quais os alunos receberam teares de pregos coloridos onde teceram os barcos que eles mesmos haviam desenhado. A idealização é de Renato Imbroisi, a coordenação, da professora Andréia do Almo, e as oficinas foram ministradas por Cilse Amaro Alves (Suzi) e Rita de Cássia Jesus Gonçalves, ambas integrantes do grupo Trama Feminina, também coordenado por Andréia. Os trabalhos são mantidos no tear, que se torna, assim, moldura e suporte. Participação especial dos alunos das Escolas: CIEP D. Pedro II (alunas do 6º e 7º anos), CEMBRA (alunos do Curso Nomal do Colégio Estadual Engº Mário Moura Brasil); Colaboradores: Diego de Jesus Gonçalves, Genésio dos Santos, Maria Alice Santos Dias, Simonia.

Quilombo

O artesanato do Quilombo do Campinho da Independência é representado pelo tradicional trançado com a fibra de taboa, utilizado para produzir objetos  utilitários e, na exposição, peixes decorativos. No mesmo espaço estão os bichos inimagináveis, especialíssimos, esculpidos em madeira por Dona Madalena Alves da Silva Conceição, 82 anos, e seu marido, Valentim Conceição, 87 anos, mais antigos moradores do Quilombo, onde ele nasceu e para onde ela se mudou ainda menina. Suas técnicas artesanais são transmitidas para filhos, netos, bisnetos e todos os membros da comunidade.

Aldeia

Na Aldeia Itati, de etnia guarani, localizada em Paraty Mirim, moram cerca de 40 famílias e praticamente todos os integrantes da comunidade fazem artesanato.
Na exposição, eles mostram os cestos trançados com a fibra de taquara e também o artesanato em madeira caxeta, praticado apenas pelos homens, que consiste em pequenas esculturas de animais. A novidade apresentada são miniaturas, com as quais foram montados delicados colares.

PARATY ECO FASHION 2013: peça desenvolvida na aldeia indígena de Paraty Mirim

PARATY ECO FASHION 2013:
peça desenvolvida na aldeia indígena de Paraty Mirim

 

Ciclo de Palestras Eco Modus 2013

26 de setembro

- Painel – Paraty EcoFashion;
- Abertura exposições Casa da Cultura.

27 de setembro

“Quando a Moda encontra a Arte”
Convidados: Flávia Melo com mediação de Lauro Monteiro

“Painel Mostra de Moda e Design: Estudantes e Profissionais”
Abertura: Instituto Rio Moda – Alessandra Marins
Convidados: Lilyan Berlim e Pedro Ruffier

“Sustentabilidade e Responsabilidade”
Convidadas: Kavita Parmar (dir. da Maison Raasta e Projeto IOU)
Nina Brgaa (dir. Instituto e)

28 de setembro

“A moda enquanto Economia Criativa”
Convidada: Patrícia Sant’Anna – TENDERE

“As diversas formas de criar”
Abertura: Instituto Colibri
Convidado: Renato Imbroisi

“Antigas técnicas, novos caminhos”
Convidadas: Hisako Kawakami e Silvia Sasaoka
Mediação: Eliane Damasceno

“Talkshow: Instituto Rio Moda”
Convidados: Agustina Comas, Gabriel Del Corso e Claudio Magalhães
Mediação :Roberto Meireles

“A moda brasileira”
Convidadas: Hildegard Angel, Celina Farias e Lucia Acar

29 de setembro

“Empreendedorismo e Criatividade”
Convidada: Luiza Marcier (dir. do Museu da Moda – Sec. de Est. de Cultura RJ)